A Tocha Paralímpica começa nesta quinta-feira (01/09) a percorrer todas as regiões do país até a Cerimônia de Abertura dos Jogos Paralímpicos Rio 2016, no dia 07/09, no Estádio do Maracanã. Além de Brasília, onde a tocha foi acesa na quinta-feira passada (25/08) em solenidade no Palácio do Planalto, o revezamento vai percorrer as cidades de Belém, Natal, São Paulo e Joinville, até chegar ao Rio de Janeiro. Serão 250 quilômetros percorridos no revezamento, 4650 milhas aéreas percorridas pelo avião do comboio e 700 condutores. A chama que iluminará o Estádio do Maracanã, na Cerimônia de Abertura, será formada pela união de cinco chamas acesas no Brasil e uma em Stoke Mandeville, na Inglaterra, berço do Movimento Paralímpico mundial. Em uma campanha virtual lançada pelo Comitê Rio 2016, pessoas de todo o mundo poderão enviar mensagens positivas, por meio de hashtags, acumulando energia suficiente para acender cada chama.

Após as cerimônias locais de acendimento, realizadas sempre pela manhã em cada cidade, a Tocha Paralímpica ganhará as ruas pelas mãos dos condutores e fará visitas em 28 locais especiais como centros de reabilitação e institutos de deficientes visuais.

Cada chama simbolizará um valor paralímpico: em Brasília a igualdade; em Belém a determinação; em Natal a inspiração; em Joinville a coragem; em São Paulo o poder da transformação; e no Rio de Janeiro a paixão pelo esporte. Para participar do movimento, basta postar nas redes sociais uma mensagem usando a hashtag oficial e a hashtag do valor abraçado pela cidade. Para acender a chama de Brasília, por exemplo, é preciso usar as hashtags #ChamaParalímpica e #Igualdade.

As cinco chamas chegarão ao Rio por estradas digitais. Elas serão enviadas virtualmente para a cidade-sede após o fim do revezamento em cada região. No dia 06/09, uma cerimônia de união das chamas formará a Chama Paralímpica no Museu do Amanhã, marco da revitalização da Região Portuária do Rio. O evento marcará o início do revezamento na cidade, que terá duração de dois dias e mobilizará 360 condutores.

Durante a Paralimpíada, a chama ficará acesa na pira da Candelária, no Centro do Rio.